Header Ads

Os Homens Por Detrás das Máscaras - Koji Uenishi

Aqueles que Vestem as Peles dos Ultras...

Koji Uenishi, o suit actor que "vestiu a pele" de Ultrasevem

Não importa qual franquia de tokusatsu seja sua favorita. De Ultraman a Kaiju, a Kamen Rider, Super Sentai e todos os demais tipos de heróis das séries japonesas. Normalmente você espera por boas cenas de lutas, com seus heróis transformados desafiando monstros e alienígenas de todos os tipos, formas, mesmo ideologias...

E é aí onde entram atores que atuam como dublês, mas vestindo trajes que os cobrem da cabeça aos pés, executando grandes confrontos e fazendo tudo que se espera de um herói. São os Suit Actors. Mas, assim como os dublês, esses atores também sofriam riscos no desempenho de sua tarefa...


Por muito tempo, detalhes sobre os aspectos desse trabalho nas séries antigas eram um tanto quanto obscuros, até entrevistas mais recentes revelarem todos os problemas e perigos que os atores enfrentavam para dar vida aos personagens.

A matéria de hoje aborda uma entrevista feita pelo diretor, ilustrador, autor de quadrinhos e também suit actor Hidemi Miyata. Conhecido no meio pela alcunha de "Ryu Hariken", ele publicou um livro em 1999 pela Sony Magazines, cujo título, traduzido de modo literal, seria "Os homens que vestiram os trajes dos heróis de tokusatsus". Com base na capa, o livro contém entrevistas com os suit actors de Akaranger (de Himitsu Sentai Gorenger), Kamen Rider V3 (de Kamen Rider V3), Kikaider (de Kikaider), Inazuman (de Inazuman) e aparentemente dois suit actors de Godzilla de eras diferentes, aparentemente dos filmes de 1954 e do filme da era Heisei "Godzilla vs Spacegodzilla", além dos suit actors Eiichi Kikuchi, que atuou como Ultraman Jack, e Koji Uenishi, que vestiu o traje de Ultraseven.
  
Capa do livro de Ryu Hariken, com entrevistas a vários suit actors.

O texto abaixo é uma tradução da entrevista feita a Koji Uenishi, que atuou como suit actor em Ultraseven e Spectreman.

Ryu Hariken (Ryu): Inicialmente, você sonhava em ser ator?
Koji Uenishi (Uenishi): Eu tinha mais interesse em escrever roteiros do que em atuação. Meu pai costumava organizar lutas de espadas para Toei, daí que ele tinha contato com muitos atores conhecidos. Quando fiz 18 anos, Juuzou Akechi, um ator famoso, gentilmente me ofereceu para procurar um lugar e morar em Tokyo. Eu estudei Teatro, mas Santarou Marune, um diretor de filmes, queria que eu fosse o assistente pessoal dele, acabei aceitando e me tornei sócio dele na Shin-Touhou.

Ryu: O que fazia como assistente pessoal? É diferente de ser um diretor assistente?
Uenishi: Na época, eu fazia cópias de roteiros e outras bobagens, não visitava estúdios com frequência. Então eu tive o sonho de me tornar um diretor porque ele era um tipo de Rei do Estúdio (risos). Pensei que logo me tornaria um por ser assistente de um diretor. Mas o senhor Marune sugeriu que eu me tornasse um ator. Meu primeiro trabalho na área foi em "Kaiketsu Shuraoh", dirigido pelo próprio Marune em 1955.

Ryu: Depois desse, de quais outros filmes você participou?
Uenishi: Na maioria dos filmes de Akira Kurosawa, como "Yojimbo" ("Yojimbo - o guarda-costas" no Brasil) e "Akahige" ("O Barba Ruiva" no Brasil), assim como em filmes da Toho, "Dai touzoku" ("O Samurai Pirata" no Brasil) e "Osaka-jo Monogatari" ("O conto do Castelo de Osaka" em tradução direta), junto de Toshiro Mifune.

Ryu: Foi preciso demonstrar as habilidades de dublê e artista marcial nesses filmes?
Uenishi: Na maioria dos casos sim. Eu tinha experiência em judô, kendô e karatê, além de ter ido a uma academia de boxe para um papel de boxeador. Confiava bastante na minha força física, daí que tentei cenas de lutas, de saltos em locais altos, pular de cavalos para carros em movimentos... Fiz vários tipos de cenas de ação.

Ryu: Gostaria que me contasse sobre como foi escolhido para atuar como suit actor de Ultraseven.
Uenishi: Acho que a equipe confiava em minha força física. Mas no começo eu fiquei furioso com a oferta.

Ryu: Por que?
Uenishi: Naquele tempo, pessoas ligadas a indústria de filmes acreditavam que atuar em filmes era o que trazia reputação, inclusive eu. De modos que programas de TV eram considerados "teatrinhos de papel televisionados" e menosprezados. Quando a produção da Tsuburaya pediu para que eu fosse o suit actor de Ultraseven, eu respondi "Sem chance! Nunca aceitarei um papel pra um show infantl e com o rosto coberto!", mas eles insistiram bastante. Eles me persuadiram dizendo que preparariam um papel importante pra mim e que me tornaria famoso após encerrar Ultraseven. Daí eu abri uma exceção pra eles.

Ryu: Então Ultraseven foi seu primeiro papel como suit actor.
Uenishi: Exato. Durante a experimentação do traje, pensei que seria difícil me mexer naquela roupa feita de um traje de mergulho que ficaria justa no corpo. E a máscara de Seven tinha buracos bem pequenos para enxergar. Não foi exatamente o que eu esperava, mas eu confiava na minha capacidade, então não fiquei preocupado.

Ryu: Você viu a atuação do Ultraman de Bin Furuya?
Uenishi: Vi numa seção de exibição da série.

Ryu: Isso o influenciou?
Uenishi: Bem... É claro que tentei me diferenciar do Ultraman. Enquanto ele ficava curvado, eu me punha ereto. As mãos do Ultraman estavam sempre abertas, então quando atuei como Seven, eu fechava os punhos, como um boxeador. Enfim, eu tentei não me parecer com o Ultraman.

As posturas de combate normalmente associadas a Ultraman e Ultraseven diferem como "dia e noite".
Enquanto "Hayata" assumia uma pose de lutador de luta livre, Seven posava como um boxeador.

Ryu: Ultraseven tinha mais poses de ataque do que Ultraman. Foram ideias suas?
Uenishi: Na maior parte. Nos ensaios eu mostrava algumas poses e os diretores decidiam no final, dizendo "esta pose está ótima" e coisas assim.

Ultraeven em suas duas poses conhecidas pro disparo do Emerium Beam.
Além delas, Seven fazia várias poses no uso da telecinese e no controle do Eye Slugger.

Ryu: Ouvi dizer que não havia um coordenador para as cenas com dublê, nem para as lutas no local de filmagem de Ultraseven. Era você quem organizava?
Uenishi: Praticamente sim. Primeiro eu falava com um diretor sobre a movimentação, daí tentávamos executar a cena e então confirmar. A primeira filmagem de Ultraseven foi o episódio três, onde enfrentei Eleking. O diretor me perguntava "Consegue fazer essa cena" ou algo assim, e então eu respondia "Sim, pode deixar".

Ultraseven em combate com Eleking no terceiro episódio da série e primeiro a ser filmado.

Ryu: Houveram dificuldades nas filmagens?
Uenishi: A visão limitada, com certeza. Conseguia ver a minha frente, mas não pra cima, baixo ou lados. Nas cenas com saltos, não dava pra ver onde eu ia pousar. Eu sentia o impacto do pouso de repente. E ainda tinha o "Sweat-NG".

Ryu: "Sweat-NG"?
Uenishi: A fantasia de Seven era um traje de mergulho que ficava justo no corpo. Meu suor escorria e empoçava debaixo dos pés e nas luvas. Quando eu esticava o braço, o suor escorria da ponta dos dedos. Isso é "Sweat-NG".

Ryu: Imagino que foi um tempo difícil, então.
Uenishi: Não, eu não achava as filmagens difíceis. Me diverti até. Pude experimentar varias coisas atípicas dessas séries de ficção científica. Por exemplo, fiquei impressionado ao ver que o efeito dos raios era uma composição óptica nas cenas onde eu atuava em frente a um fundo azul. Além disso, teve o caso do Ultraseven encolher e lutar dentro de um corpo humano. Foi bastante divertido.

Cena de Ultraseven do episódio 31, dentro do corpo humano.

Ryu: Você conversava sobre os detalhes das cenas de luta com os suit actors dos monstros nos ensaios?
Uenishi: Sim. Lembro que a maioria dos suit actors dos monstros eram de companhias teatrais.

Ryu: Então você dava conselhos para eles.
Uenishi: Não. Mas avisava a equipe dos cuidados pros atores dos monstros. Os trajes dos monstros são muito quentes e ficávamos com calor devido a luz do estúdio. Um ator desmaiou logo depois que saiu do traje. Então eu falei pra equipe do tempo máximo pros atores atuarem nos trajes e disse aos diretores assistentes para abrirem os zippers imediatamente. Me preocupei em especial com um ator que vestiria um traje pela primeira vez. Mas teve uma vez em que não precisei me preocupar. No episódio 17, Haruo Nakajima, que tinha feito Godzilla, interpretava um robô. Ele era como um professor pra mim, daí que pude aprender com ele na ocasião.

O robô U-Ton, interpretado pelo suit actor Haruo Nakajima.
Pros que pensavam que o "personagem robótico" fosse o (mais famoso) King Joe...

Ryu: Você falava com Bin Furuya como Amagi sobre Ultraman?
Uenishi: Não conversávamos sobre ele.

 Bin Furuya, o suit actor do Ultraman original,
participou como o membro do esquadrão Amagi (centro da foto).

Ryu: Teria alguma outra história da época?
Uenishi: Quando filmamos uma cena onde Seven levantava um monstro, ele era tão pesado que eu tive problemas na hora. Se algo fosse pesado demais, usávamos cordas de piano. E falando em levantar coisas pesadas, eu levantei Kouji Moritsugu no episódio 17.

Ryu: É o episódio onde Jiro Satsuma, o modelo de Dan Moboroshi, apareceu.
Uenishi: Moritsugu era mais pesado do que aparentava. Foi difícil erguê-lo mas Seven deveria ser poderoso, então precisei fingir que o levantava facilmente.

Jiro Satsuma, a "base" usada para Ultraseven criar sua forma humana de Dan Moboroshi,
no momento em que Ultraseven o encontra num flashback do episódio 17.

Ryu: Nos episódios 14 e 15, Eiichi Kikuchi atuou como Ultraseven.
Uenishi: Sim. Ultraseven podia ter o tamanho de uma pessoa normal, diferente do Ultraman, e eu precisava atuar como Seven em tamanho humano nesses episódios. Devido a isso, não pude participar das filmagens das cenas de luta. Decidimos escolher alguém da JFA (Japan Fighting Actors) para tais cenas e o senhor Kikuchi foi chamado.

Ultraseven em tamanho humano ao lado de membros do Esquadrão Ultra.

Ryu: Do que você gostou enquanto atuava Ultraseven?
Uenishi: Pra ser franco, eu não dava valor a um programa de TV pra crianças e estava relutante em fazer Ultraseven no começo. Então pensei em simplesmente seguir as instruções do diretor sem dar muita importância na atuação. Mas a medida que as filmagens seguiam eu mudei de opinião.

Ryu: Como?
Uenishi: Foi por causa das crianças que amavam Ultraseven. Eu recebia cerca de 300 cartas de fãs por dia. O número total de cartas chegava na casa das dezenas de milhares. Foi a primeira vez que experimentei isso como ator. Elas enviavam várias opiniões de como fazer o Seven ainda mais legal, ideias de monstros e algumas desenhavam Ultraseven com bastante carinho. Elas estavam realmente empolgadas, e isso me fez pensar em como eu deveria levar a atuação de Ultraseven mais a sério.

Ryu: Pois é, são coisas assim que nos empolgam.
Uenishi: Era um grande encorajamento. Às vezes, visitávamos instituições para crianças especiais. Uma vez, logo após vestir a fantasia de Ultraseven e sair do ônibus, um garoto correu em minha direção e apertamos as mãos. Então uma enfermeira veio correndo até ele. Depois me contaram que aquele garoto não conseguia nem ao menos ficar de pé. Crianças com deficiências estavam ansiosas para apertar minhas mãos. E naquele encontro com as crianças, elas ficavam com os olhos cheios de lágrimas. Isso me comoveu tanto que eu quase chorei. Essa experiência fez com que eu esquecesse de vez qualquer desdém que tinha pelos shows infantis e me fez perceber que eu deveria dar esperança a elas. Pensei que, assim como a missão de Ultraseven era salvar a Terra, a minha era de dar as crianças a chance de sonhar. Daí prometi a mim mesmo completar essa missão.

Ryu: Esta foi uma história comovente e incrível. Obrigado pela ótima conversa.

Amado pelos fãs de todas as idades, no decorrer dos anos.
Não é a toa que Ultraseven é referido como "o Maioral" por fãs brasileiros!





Um comentário:

  1. Que Bela Matéria.
    Interessante saber de tudo isso que ocorria na época.............Estes atores merecem todo o nosso respeito.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.